Ensino Médio com horário integral
 

Pensar a escola do século XXI exige de nós o olhar atento sobre os interesses dos alunos, das famílias, dos professores e das exigências do mercado de trabalho, sem abrir mão da linha pedagógica que sustenta nosso projeto.

Precisamos de uma escola humanista que não dissocie o saber da área humana da área científica, que não desvalorize a formação pragmática em prol da intelectual. É necessário, também, preencher o aspecto subjetivo da educação que é a produção com prazer. Os alunos têm demandas, nem sempre atendidas pela grade curricular que hoje se apresenta, em grande parte construída há um século.

As famílias, por sua, vez, hoje precisam saber onde estão seus filhos e a escola não pode, portanto ser apenas um “lugar” em que as crianças/adolescentes ficam. É necessário fazer desse lugar um espaço prazeroso, mas também produtivo nos moldes que a sociedade atual exige.

A partir do exposto ampliamos nossa ação educacional com o horário integral. Ele permitirá a complementação de áreas de conhecimento o que nem sempre se torna possível em salas de aula formais, tendo em vista que o currículo se organiza por disciplinas isoladas. Assim, será possível reinterpretar e ampliar conteúdos

Outro aspecto relevante é a possibilidade de experenciar atividades que propiciem a convivência, o trabalho que priorize o coletivo, exigência do mercado de trabalho do mundo contemporâneo e valorize outras formas de produzir o saber, tão necessárias inclusive a alunos com necessidades específicas

Assim, essa proposta atende aos princípios da lei de Diretrizes e Bases no que diz respeito a uma educação integral que se dê por temas transversais, com o objetivo de formar o cidadão comprometido e atuante em sua cidadania.

Fundamentos da proposta

Essa proposta tem como fundamento o pensamento do nosso Patrono Anísio Teixeira que, em seu legado sobre os fundamentos e o futuro da Educação Brasileira, nos mostra que “a filosofia democrática só prospera onde tem diálogo – seu sentido é manter viva a idéia de transformar o mundo por intermédio da inteligência, pois sem isso a humanidade torna-se menos humana” (Anísio Teixeira em Educação e o mundo Moderno).

Seu pensamento focaliza o inter-relacionamento entre educação e sociedade, analisando a ação dos processos educacionais sobre o indivíduo e seus desdobramentos na sociedade. Defende também a necessidade de fundamentação filosófica na prática educacional, afirmando que o educador, “ao lado da informação, da sensibilidade e da técnica, deve possuir uma clara filosofia da vida humana e uma visão delicada e aguda da natureza do homem”(A.T. em Pequena Introdução à Filosofia da Educação). Isso posto, uma educação para as habilidades intelectuais na contemporaneidade não se distancia da natureza e da sensibilidade, inerentes no humano, para desenvolvimento de uma sociedade mais crítica e democrática.

Num momento em que a maioria dos educadores luta para se reapropriar de suas práticas, nossa escola tem o privilégio de aprimorar suas concepções educacionais retirando-as do senso comum e reforçando seu caráter vanguardista com a responsabilidade, o compromisso e a ação que Anísio Teixeira inaugurou em seus estudos mais aprofundados, quando dirige-se aos docentes, afirmando a necessidade de cultivar um pensamento objetivo e transformador que utilize as chaves interpretativas oferecidas pelas ciências atualizadas e, que seja capaz de optar por valores humanos, a despeito e até por conta das contradições sociais. Renovar torna-se uma tarefa de intenso compromisso com a estrutura humana de maior excelência: o desenvolvimento da inteligência.

Anísio Teixeira não pretendeu apenas transmitir uma teoria sobre a necessidade da educação para uma plena democracia. Ele convoca os profissionais da educação, com paixão, a formarem cidadãos com o espírito de pesquisa, de busca do conhecimento, compatíveis com uma sociedade mais justa para todos. As experiências vividas num processo educacional pertinente ao seu próprio tempo possuem caráter transformador na qualidade humana que desejamos para nossa sociedade. Seu pensamento continua sendo na sociedade brasileira contemporânea, inspiração fecunda que forja uma consciência generosa e criativa da relação pedagógica e da sociedade. Dela não podemos abrir mão! Talvez a mensagem mais cara à interação pedagógica entre professores e alunos seja a de que cultivar a inteligência é manter viva a capacidade de sonhar!

Estrutura / Horário

Ciclo Básico, contemplando as disciplinas obrigatórias com 35 tempos semanais de segunda a sexta-feira – 7:30 às 13:15
Ciclo Eletivo – de segunda a quinta-feira, não seriado e semestral , de 14hs às 16hs

“ como um galo/ sozinho não tece a manhã”,
nossos sonhos encontrarão outros sonhos que se tornarão reais com uma gestão transparente e que tem um objetivo maior – a formação acadêmica e cidadã de cada aluno.